ALFREDO HENRIQUE OSCAR SCHURIG

 

Alfredo Henrique Oscar Schürig nasceu em Rio Claro (SP) em 11 de junho de 1884, filho de Oscar Schürig e de Maria Blummer Kuntgen, imigrantes alemães que chegaram a Jundiaí no século XIX. Relatos feitos pelo cronista Lourenço Diaféria conta que herr Schürig ganhava o sustento da família tocando piano à noite em bares de São Paulo. Seu filho, o jovem Alfredo, um “vendedor de praça”, teve mais sorte: ficou milionário após adquirir um bilhete premiado da Loteria do Estado de São Paulo.

Ao lado do irmão Walter Arno, Alfredo aplicou o dinheiro na Fábrica Nacional de Parafusos Santa Rosa que fabricava ferragens diversas, principalmente durante a I Guerra Mundial, abastecendo todo o mercado nacional, devido às dificuldades de importações da Europa. Após vender a fábrica a empresários ingleses, em 1930 tornou-se sócio da Casa Schill, uma das pioneiras no comércio de ferragens na afamada Rua Florêncio de Abreu.

Ambos os irmãos Schürig residiam em São Paulo, entretanto passavam os feriados e fins de semana em suas chácaras em Jacareí, onde Alfredo, homem pacato e bem humorado, conheceu e desposou Francisca de Siqueira (Chiquinha Schürig), moça da sociedade jacareiense. Desta união nasceram três filhos: Adelaide, Maria (Santinha) e Alfredo Filho.

O Mecenas

Além de milionário, Schürig era um homem generoso, presenteando Jacareí com alguns empreendimentos na área esportiva/cultural. Em 1920 construiu um campo à beira rio para o “Esperança Foot Ball Club” e um ano depois lançou a pedra fundamental da futura sede social na Rua do Rosário. Após a extinção daquele clube em 1933, o campo foi transferido para o “Ponte Preta Futebol Clube” e em 1942 a sede social passou a abrigar o Trianon Clube.

Cidadão benemérito, auxiliou a Santa Casa com importantes doações em dinheiro e equipamentos. Colaborou, também, com a Igreja Matriz e as Festas da Padroeira. Aos jacareienses mortos na Revolução Constitucionalista de 1932 doou o mausoléu localizado no cemitério municipal. Apesar de sua forte atuação no cenário municipal, sempre esteve longe das lides políticas, jamais aceitando ocupar qualquer cargo na administração pública.

A cidade, em agradecimento, em 10 de setembro de 1921 deu o seu nome à antiga Rua do Rosário, sendo também agraciado com os títulos de Cidadão Jacareiense e nomeado “Apóstolo da Caridade” por suas contribuições à igreja.

Na capital paulistana, Alfredo Schürig ficou conhecido por sua atuação junto ao Sport Club Corinthians Paulista, onde foi considerado um verdadeiro mecenas. Participou na construção dos dois primeiros estádios do clube, o primeiro na região da Ponte Grande. Em 1926 “emprestou” dinheiro para quitar dívidas pela aquisição de grande área no Tatuapé onde foi construído o Parque São Jorge e o estádio “Alfredo Schürig”, mais conhecido como Fazendinha. Presidente do clube na gestão 1930/1033, impulsionou as atividades poliesportivas, principalmente as regatas no Tietê, época que a âncora e os remos passaram a fazer parte do escudo do “Timão”.

Alfredo Schürig faleceu precocemente, em 30 de janeiro de 1941, aos 56 anos, no Hospital Santa Cecília, em São Paulo.

Texto e fotos extraído do Site Jacareí - de Fernando Romero Prado

No local onde ficava a casa de Alfredo, nos dias de

hoje é o Educa Mais São João

 

PÁGINA INICIAL PERSONAGENS DA NOSSA HISTÓRIA PERSONAGENS

Este site é administrado e gerenciado por Celso Luís Vasques -  Editado pela última vez em 12/07/2020 15:56

Envios de arquivos, fotos e correções para jacarei@jacarei.blog.br - WhatsApp > 12-997653533