"CRÔNICAS DA CIDADE"

 

 

AS TRÊS VERSÕES DO MERCADO MUNICIPAL

 

 

O mercado municipal de Jacareí deve ser, quase que com certeza, o primeiro prédio de porte construído pelo poder público local no século XIX, uma vez que mesmo a prefeitura e Câmara Municipal só mais recentemente passaram a ter sede própria, utilizando-se, até então, de prédios alugados de particulares.

A mais antiga rua principal da cidade, de que se tem notícia, é a rua Luiz Simon, antes denominada rua do Riachuelo, e popularmente conhecida como “Rua de Baixo”. Depois, com o crescimento da cidade, é que a Rua Direita (Antônio Afonso) passou a ser a rua principal, como hoje se considera rua Alfredo Schurig .

Daquela antiga rua principal saía uma outra bem longa, a qual se dirigia para o lado norte e deve te passado a ser rua importante a partir de 1876, quando se iniciou o funcionamento da Estrada de Ferro, e esta rua fazia a ligação com o largo da estação , depois Praça Raul  Chaves.

Quem se dirigia para a estação de trens via, no lado esquerdo da rua, um grande brejo do qual se aterrou, naquela época, uma boa parte para a construção do primeiro prédio do mercado. Na verdade, esta grande área alagadiça só teve completado o seu aterro em 1963, quando o prefeito  José Cristóvão Arouca abriu a avenida que depois recebeu o nome de Senador Joaquim Miguel (onde se localiza o Banco do Brasil).  

Feito o aterro, então erigiu-se em taipa o prédio do primeiro mercado, cujas dimensões seriam iguais a do prédio atual, conforme se percebe pela foto mostrada.

A rua, mais tarde, recebeu o nome de Dr. Lúcio Malta. Como Lúcio de Toledo Malta, aqui nascido, além de médico e provedor da Santa Casa, foi também prefeito (intendente), aproximadamente entre 1875 e 1885, acreditamos ter tido participação importante na concretização do Mercado Municipal, seja na construção ou no aterro, a rua recebeu seu nome.

Em 1924 o segundo prédio foi feito, no mesmo local do anterior e de tijolos aparentes, pelo prefeito João Ferraz. Era um mercado que seguia o mesmo esquema do primeiro , ou seja, servia aos pequenos agricultores do município que, sobretudo aos sábados e domingos, vendiam para nossos consumidores seus próprios produtos: frutas, verduras, legumes, grãos e algumas especialidades como  a talhada, a rapadura, a farinha de mandioca e a pinga de alambique.

Muito pitoresco era o fato de que na frente do mercado se formava uma grande fila de carinhos de mão, nos quais os meninos que precisavam de um pequeno “ganha pão” levavam as compras das donas de casa e, assim, recebiam uma gorjeta.

Em maio de 1959, no seu último ano de mandato, o prefeito Dr. João Victor Lamana demoliu o segundo mercado e iniciou a construção do atual, que, no entanto, só foi concluído em maio de 1962 por Antoninho  Nunes, usando apenas recursos próprios do município.                

  por: Luiz José Navarro da Cruz - Publicado do Diário de Jacareí - Coluna Retratos da cidade em ?

 

PÁGINA INICIAL

MENU DAS CRÔNICAS

Este site é administrado e gerenciado por Celso Luís Vasques -  Editado pela última vez em 10/05/2020 17:44

Envios de arquivos, fotos e correções para jacarei@jacarei.blog.br - WhatsApp > 12-997653533