ESPAÇO CANTO DAS POESIAS

 

Dirceu Junqueira de Souza

"O CAÇADOR DE ESMERALDAS" 

Pelos sertões da vida sempre errante

E de alma curiosa desde cedo,

Parti, sem rumo, outro bandeirante,

Jovem ainda, coração sem medo.

 

Tinha a esperança sempre flamejante

E não temia de provir segredo

No alcance vão do ideal distante

Morreu a luz no desengano tredo.

 

Esmeraldas de amor busquei sonhando,

Até que, as pedras verdes encontrando,

Acreditei em dias mais risonhos.

 

Tive apenas a febre da ilusão,

As gemas verdes - nada mais senão

As pobres turmalinas dos meus sonhos...

D. J. de Souza - 1967

 

PÁGINA INICIAL

CANTO DA POESIA

Este site é administrado e gerenciado por Celso Luís Vasques -  Editado pela última vez em 10/05/2020 17:19

Envios de arquivos, fotos e correções para jacarei@jacarei.blog.br - WhatsApp > 12-997653533